Mini Cooper S Coupé Turbo Blindado

R$ 83 999

Mini Cooper S Coupé Turbo Blindado

Detalhes do Carro:
Tipo Coupe
Km 61000 km
Combustível Gasolina
Motor 1.6 Turbo
Ano 2014
Preço 94000
Transmissão Automatico
Tração FWD
Cor Exterior Branco
Cor Interior Couro Preto
Tempo de Vôo N/A
Horas de navegação N/A
Blindado Sim
Opcionais
  • Air Bag
  • Alarme
  • Bancos em Couro
  • Câmera de Ré
  • Computador de Bordo
  • Controle de Estabilidade
  • Controle de Tração
  • Direção Hidraulica
  • Kit Mulmitidia
  • Retrovisor Elétrico
  • Retrovisor Fotocromático
  • Sensor de Chuva
  • Sensor de Estacionamento
  • Travas Elétricas
  • Vidros Elétricos

Mini Cooper S Coupé Turbo Blindado

 

 

 

 

Mini Cooper S Coupé Turbo Blindado

Mini sempre proporcionou surpresas. O original,

lançado há 50 anos, era uma versão minimalista

do transporte. Ele sempre circulou pela periferia

da normalidade automotiva, um desajustado rebelde

e excêntrico. Agora, a terceira geração do novo Cooper

chega e apresenta um Mini que até sua mãe pode gostar.

Como a maioria dos veículos, o Mini cresceu com a idade.

Isso geralmente não importa, já que os carros estão

simplesmente tentando acomodar nossos corpos cada

vez maiores. Mas nenhum outro usa “mini” como nome.

A má notícia para a possível epidemia de obesidade

automotiva: o novo Mini é 11,4 cm mais longo,

chegando a 3,84 m, 4,3 cm mais largo com 1,73 m e

0,7 cm mais alto, com 1,41 m. Esse crescimento não o

torna grande demais, mas é um passo em direção a

extrapolar seu próprio nome.

Contudo, o tamanho extra é bem utilizado.

O entre-eixos cresceu 2,8 cm e tem agora 2,49 m,

enquanto a bitola está 4,3 cm mais larga na frente

e 3,3 cm na traseira. Isso leva ao aumento em mais

de 225 litros no espaço interno e de 85 litros no porta-malas.

Os projetistas do Mini se contiveram, mexendo no visual mas

mantendo a herança do modelo. Algumas novidades no exterior

são bem-vindas, como os faróis opcionais, que incluem um anel

de led que se acende durante o dia e lembra a versão da BMW,

com um visual limpo e moderno. O terço inferior do anel serve

como luz de direção.

Já a cabine foi transformada em uma suíte de luxo. Por anos,

minha maior queixa contra o Mini se baseou na qualidade dos

materiais. Eles pareciam bons de relance, mas havia uma

sensação de plástico oco e brilhante em tudo, como se os

controles, botões e o que talvez seja a pior interface de

som no mundo fossem comprados no camelô.